Os Melhores Filmes de 2019

Nocturne, de Viktor van der Valk

A regra é a de sempre: filmes lançados entre 2017 e 2019. Repito a fórmula do último ano, com comentários sobre os cem  filmes listados. Espero que vocês tenham paciência para ler  tudo. Aguardo suas opiniões! 

English version here.

Ei-la:



100. Rachel (Scout Tafoya, 2019) 
Filme-carta visceral.


99. O que Arde (Oliver Laxe, 2019)
Homem-destroço.


98. Nietzsche Sils Maria Rochedo de Surlej (Júlio Bressane, Rodrigo Lima, Rosa Dias, 2019)
O espírito que cessa.


97. Those That, at Distance, Resemble Another (Jessica Sarah Rinland, 2019)
O filme que James Benning esconde em História Natural.


96. Cadê Você, Bernadette? (Richard Linklater, 2019)
Pequenas subversões.


95. Sophia Antipolis (Virgil Vernier, 2018)
Fascismo nas frestas da vaidade.


94. Projeto Gemini (Ang Lee, 2019)
Forjar ilusões e enfrentar memórias.


93. El Viaje Espacial (Carlos Araya, 2019)
Estrutura e política.


92. Reveries (Graham Mason, 2018)
À lisergia de Easy Rider.


91. Phantom Ride (Stephen Broomer, 2019)
Sobreposições do tempo.


90. Bridges of Time (Audrius Stonys, Kristine Briede, 2018)
Para um cinema que não existe mais.


89. McLuhan Esnobado: O Cínico Ocidental (Richard Altman, 2019)
Ao bombardeio, aos cliques e ao bombardeado.


88. Ridge (John Skoog, 2019)
Documento sobre o rigor.


87. No Portal da Eternidade (Julian Schnabel, 2018)
Respeito ao verdadeiro autor.


86. Esses Dias (André de Nervaux, 2019)
Jonas Mekas para Instagrammers.


85. The World is Full of Secrets (Graham Swon, 2018)
Whit Stillman dirige As Jovens Bruxas.


84. Atlantics (Mati Diop, 2019)
Espíritos antifascistas (ou Para Romero, com carinho)

83. Uma Corrente Selvagem (Nuria Ibañez, 2018)
Entre tensões.


82. Predadores Assassinos (Alexandre Aja, 2019)
Ao poder do mínimo.


81. So Long, My Son (Wang Xiaoshuai, 2019)
Em outros corpos e espíritos.


80. Ham on Rye (Tyler Taormina, 2019)
Mutações narrativas.


79. The Souvenir (Joanna Hogg, 2018)
Cinema: arte trambiqueira.


78. The Giverny Document (Single Channel) (Ja'Tovia Gary, 2019)
Pelo desejo de liberdade.


77. End of Season (Elmar Ivanov, 2019)
Um mistério para Pedro Costa.


76. Walden (Daniel Zimmerman, 2018)
Como e quando olhar.


75. Ghostbox Cowboy (John Maringouin, 2018)
Fitzcarraldo e o fim do neoliberalismo.


74. Alita: Anjo de Combate (Robert Rodriguez, 2019)
Mitologia Kitsch.


73. Forest Movie (Matthew Taylor Blais, 2017)
Do cinema estrutural ao filme de terror em 65 minutos.


72. El Angel (Luis Ortega, 2018)
Reler o cinema americano dos anos 60.


71. Pahokee (Patrick Bresnan, Ivete Lucas, 2019)
Ecos de Wiseman.


70. Vitalium, Valentine! (Jean-Charles Fitoussi, 2017)
Exumar e replicar. O sci-fi de Eugène Green.


69. Entre Facas e Segredos (Rian Johnson, 2019)
A mente do escritor.


68. Medo Profundo: O segundo Ataque (Johannes Roberts, 2019)
Movimento, luz e sangue.


67. Joan of Arc (Bruno Dumont, 2019)
Coreografias e monólogos de guerra.


66. Technoboss (João Nicolau, 2019)
Reger e ser regido.


65. Family Romance, LLC (Werner Herzog, 2019)
Ao digital.


64. Uma Casa à Beira-Mar (Robert Guédiguian, 2017)
Demolir um país.


63. La Mer du Milieu (Jean-Marc Chapoulie, 2019)
Godard reedita A Propósito de Nice.


62. Martin Eden (Pietro Marcello, 2019)
Realidade e retórica.


61. Killing (Shinya Tsukamoto, 2018)
Corpos em crise.


60. Greener Grass (Jocelyn DeBoer, Dawn Luebbe, 2019)
Monty Python no subúrbio americano.


59. I Do Not Care if We Go Down in History as Barbarians (Radu Jude, 2018)
História e estória.


58. Punk Samurai Slash Down (Sogo Ishii, 2018)
Ishii de volta à insanidade.


57. Fale Com Estranhos (Pedro Monte Kling, 2018)
Cortante exposição.


56. 中孚 61. Verdad interior (Sofía Brito, 2019)
Arte da prosa.


55. Doutor Sono (Mike Flanagan, 2019)
Luz, trevas e descarrego.


54. Casa (Letícia Simões, 2019)
Do intímo para um sentimento geral.


53. State Funeral (Sergey Loznitsa, 2019)
O fim de uma era e Intervalo de Harun Farocki.


52. Sibyl (Justine Triet, 2019)
Triet e a manipulação Hitchcockiana.


51. Autumnal Sleeps (Michael Higgins, 2019)
Epstein visita o inferno.


50. Deerskin (Quentin Dupieux, 2019)
Execrar o cinema clássico e a glória do cinema independente.


49. Estação do diabo (Lav Diaz, 2018)
Didatismo necessário.


48. O Traidor (Marco Bellocchio, 2019)
Retratação moral.


 47. Daniel (Marine Atlan, 2018)
O filme infantil de Brisseau.


46. O Laboratório (Fernando José Pereira, 2018)
A inglória luta diária.


45. Psychopaths (Mickey Keating, 2017)
French giallo.


44.O Olho e a Faca (Paulo Sacramento, 2018)
Khouri e Reichenbach discutem o Brasil.


43. Amazing Grace (Alan Elliott, Sydney Pollack, 2018)
Ritmo, ritual e uma cinebiografia definitiva.


42. Take me Somewhere Nice (Ena Sendijarević, 2019)
Divisa geométrica.


41. Um Homem Fiel (Louis Garrel, 2018)
Lovenoir.


40. A Cidade Escondida (Victor Moreno, 2018)
A Cidade é uma só?


39. Chorão: Marginal Alado (Felipe Novaes, 2019)
Sobre ser um personagem.


38. Auto de Resistência (Natasha Neri, Lula Carvalho, 2018)
Montagem como prova.


37. Danses Macabres, Skeletons, and other Fantasies (Rita Azevedo Gomes, Pierre Léon, Jean Louis Schefer, 2019)
Encontro de mestres.


36. Nocturne (Viktor van der Valk, 2019)
A consciência do realizador (ou Ford faz um sci-fi).


35. Mirante (Rodrigo John, 2019)
Do tédio ao esplendor.


34. Tommaso (Abel Ferrara, 2019)
Ferrara, myself.


33. The Forest of Love (Sion Sono, 2019)
Obsessão pela morte, sangue e cinema.


32. Era uma vez...em Hollywood (Quentin Tarantino, 2019)
Flutuar pela apoteose.


31. Vidas Duplas (Olivier Assayas, 2018)
Filme análogico, ética digital.


30. Corsario (Raul Perrone, 2018)
Pasolini procura os rostos de Cump4rsit4 e os corpos de P3nd3j05.


29. Bem-vindos a Marwen (Robert Zemeckis, 2018)
Zemeckis segue como um grande narrador.


28. Dor e Glória (Pedro Almodóvar, 2019)
O autor no divã.


27. The Beach Bum (Harmony Korine, 2019)
Tensionar a narrativa e destruir formalismos.


26. Um Filme de Verão (Jô Serfaty, 2019)
O mais próximo que chegamos de Prazeres Desconhecidos de Zhang-Ke.


25. Vermelha (Getúlio Ribeiro, 2019)
A grande novela masculina.


24. Étang Noirs (Pieter Dumoulin, Timeau De Keyser, 2018)
Sobreposição de gêneros cinematográficos.


23. O Fim da Viagem, o começo de tudo (Kiyoshi Kurosawa, 2019)
Liberdade arrebatadora.


22. John McEnroe: In the Realm of Perfection (Julien Faraut, 2018)
Cinema para Godard.


21. A Bread Factory (Patrick Wang, 2018)
Performance, imagem, palavra e a política dos autores.


20. Bacurau (Kleber Mendonça Filho, Juliano Dornelles, 2019)
À frontalidade.


19. Uncut Gems (Benny & Josh Safdie, 2019)
Mitomania e o conto da solidão no cinema noventista de Abel Ferrara.


18. O caso Richard Jewell (Clint Eastwood, 2019)
War on Errorism.


17. Diary of Rooftop Water Towers (Nobuyuki Asai, 2019)
No piscar dos olhos.


 16. Ad Astra (James Gray, 2019)
Um homem no espelho.


15. Filme Catástrofe (Paul Grivas, 2018)
Metodologia e maestria.


14. John Wick: Parabellum (Chad Stahelski, 2019)
Aos corpos em movimento e suas crises.


13. Demain et tous les autres jours (Noémie Lvovsky, 2017)
Organismos da imaginação.


12. Vitalina Varela (Pedro Costa, 2019)
Nas portas do purgatório.


11. O Irlandês (Martin Scorsese, 2019)
Musical em fade out.


10. Histoire(s) du Temp(s) (Eli Hayes, 2019)
Arqueologia das imagens.


09. 8 Caminhos para o Colégio (Jean-Marc Boulard, 2019)
Às leituras de Straub, Huillet e Godard.


08. Synonyms (Nadav Lapid, 2019)
Jesus não tem dentes no país dos banguelas.


07. Parasita (Bong Joon-Ho, 2019)
O fim da sensibilidade ou como dois mundos nunca se encontrarão.


06. A Mula (Clint Eastwood, 2018)
Autoretrato no reflexo do vidro.


05. Dragged Across Concrete (S. Craig Zahler, 2018)
Como a câmera guia os corpos - e a lei.


04. Alabastro (Jacques Perconte, 2018)
Pintar com glitch.


03. Vidro (M.Night Shyamalan, 2019)
O pedaço do mundo que crê.


02. A Portuguesa (Rita Azevedo Gomes, 2018)
A culpa como miragem.


01. La Flor (Mariano Llinás, 2018)
O prazer em narrar com exatidão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Batem à Porta (M. Night Shyamalan, 2023)

Batem à Porta em primeiro contato pode parecer um tradicional filme de Shyamalan visto que seus temas prioritários estão lá, mas o que ma...