Melhores Filmes de 2014


Na era de downloads e muitos festivais é pertinente criar uma lista paralela à tradicional lista de melhores longas-metragens do ano lançados em circuito. O limite está no ano de produção de cada filme (entre 2012 e 2014). 

30. Traição (Paul Verhoeven, 2012) 
55 minutos para contar uma possível série de 10 temporadas.

29. Sétimo Código (Kiyoshi Kurosawa, 2014)
 Kurosawa remete aos filmes de início de carreira com falsa simplicidade para subverter gêneros e discursos políticos. 
 
 28. The Guest (Adam Wingard, 2014)
De Carpenter a Orson Welles, um mundo de referências no slasher mais corajoso do ano.
 

27. O Ministério das Ferrovias (J.P Sniadecki, 2014)
Sobre se sustentar.



26. Já Visto, Jamais Visto (Andrea Tonacci, 2013) 
A montagem como via para um mostruário afetivo e histórico.

25. La Sapienza (Eugène Green, 2014)
 Daqui nada se leva.

24. The Dirties (Matthew Johnson, 2013) 
O terror entre as frestas de um filme teenager.


23.  Temporário 12 (Destin Cretton, 2013)
Tensão estabelecida em espaço mínimo.

 22. National Gallery (Frederick Wiseman, 2014)
Subvertendo a relação homem-arte. 


21. Ida (Pawel Pawlikowski, 2013)
Antítese de Ozu.


20.  Drug War (Johnnie To, 2012)
A sempre impressionante orquestração da própria grife. 

19. Stations of the Cross (Dietrich Bruggemann, 2014) 
O peso da câmera e da religião.

18. De Volta ao Jogo (Chad Stahelski, 2014)
Abel Ferrara dos anos 90 + Walter Hill dos anos 00.

17. O Menino e o Mundo (Alê Abreu, 2013)
Os moldes da solidão.

16.  Amar, Beber e Cantar (Alain Resnais, 2014) 
A mais irônica despedida.

15.  Jornada ao Oeste (Tsai Ming-Liang, 2014)
Afeições de um mundo em colapso. Reinterpretar espaço e tempo.

 14. Jauja (Lisandro Alonso, 2013)
Enciclopédia de mitos.


 13. Museum Hours (Jem Cohen, 2012) 
Arte como forma híbrida de vida e legado.

 
12. Bem-Vindo a Nova York (Abel Ferrara, 2014)
Ferrara como dono de um olhar extra sobre o registro histórico.

11.  Casa Grande (Fellipe Barbosa, 2014)
O encontro dos dois extremos expostos cria a cena mais bonita de 2014.

10.  O Gebo e a Sombra (Manoel de Oliveira, 2012)
A idade adulta do teatro.

09. Cavalo Dinheiro (Pedro Costa, 2014)
 Purgatório da segunda morte.


08. Double Play - James Benning/Richard Linklater (Gabe Klinger, 2013)
Mestres no estudo do tempo.
 
07. Paixão e Virtude (Ricardo Miranda, 2014) 
O cinema como ato contínuo entre teatro e literatura.

06. A Misteriosa Morte de Pérola (Guto Parente, Ticiana Augusto Lima, 2014)
Ensaio sobre o filme de terror definitivo de Brisseau.

 05. Branco Sai, Preto Fica (Adirley Queirós, 2014)
A imaginação para seguir em frente.


04. A Grande Noite (Benôít Delépine, Gustav Kervern, 2012)
  Insanidade como caminho mais curto.

 03. P3nd3j05 (Raúl Perrone, 2013)
 Em algum lugar entre Cassavetes, Sylvain George e Murnau. 

 02. E Agora? Lembra-Me (Joaquim Pinto, 2013)
 A autoficção tão inalcançável quanto a cura e tão abstrata quanto a vida.

01. Hard to Be a God (Aleksey German, 2014)
O mais sublime e incômodo dos testamentos. Peso indecifrável, beleza estonteante, como o mundo de Deus.
  
Menções: Miss Zombie (Sabu), Sem Escalas (Jaume Collett-Serra), Bird People (Pascale Ferran), The Rover (David Michôd), A Gente (Aly Muritiba), O Abutre (Dan Gilroy), A Spell To Toward the Darkness (Ben Rivers, Ben Russel), Jersey Boys (Clint Eastwood), Anatomia de um Clipe de Papel (Ikeda Akira), Expresso do Amanhã (Bong Joon-Ho), Uma Família em Tóquio (Yôji Yamada), A Primeira Missa (Ana Carolina), Lesson of the Evil (Takashi Miike), O Ciúme (Philippe Garrel), Dois Dias, Uma Noite (Jean-Pierre e Luc Dardenne), Pais e Filhos (Hirokazu Kore-eda), Matar a un  Hombre (Alejandro Fernández Almendras), Mauro (Hernán Rosselli), , El Desierto (Christoph Behl), A Imagem que Falta (Rithy Panh), Viva Viva (Carolina Pfister).

Comentários

Postagens mais visitadas