O SILÊNCIO DE LORNA


Vencedores do Festival de Cannes na categoria de melhor roteiro deste ano, os irmãos Dardenne estão de volta, largando os profundos e nada tragáveis dramas para uma intensa trama no ilícito suspense O Silêncio de Lorna

Os irmãos Dardenne têm uma forma peculiar de construir seus filmes, de forma mais crua, sem exageros cinematográficos, a ausência da trilha sonora e a aposta da arte mais corriqueira, casual. Aqui, elipses são inseridas, ora em momentos cruciais, outros em momentos que não fariam muita diferença para a trama. Mas o que pesa mesmo é o seu subtexto, a questão da xenofobia, dos interesses pessoais, do aborto e a maternidade e a questão de se realmente nós, humanos, temos limites. 
Lorna é albanesa e para conseguir sua cidadania belga, casa por interesse com um viciado em heroína, pois sabe que sua vida será curta. Lorna tem envolvimento com a máfia, que negocia visto de cidadania, que logo arrumaria um novo marido para ela, e assim, mais um com visto belga. Tudo é programado e calculado e o que interessa é o dinheiro. Mas Lorna sente o peso de suas atitudes e é cercada por dúvidas e teme por sua vida também.

Arta Dobrishi em grande atuação, consegue transformar Lorna em monstro a uma inocente e frágil criança num piscar de olhos. Tais dúvidas que envolvem sentimentos por seu marido viciado, seu real namorado e sua submissão a ordens cruéis de quem a usa como uma prostituta. 

A partir daí um labirinto em que Lorna entra é grande e tudo esta fora de controle, mas também pode estar em suas mãos. Os Dardenne conseguem controlar a trama com louvor, não deixando a cair em uma trama frenética e sim de uma forma bastante cadenciada, fácil de assistir, mas que deixa sua mente trabalhar tranquilamente para refletir sobre o que vem por trás dos diálogos e cenas, de certa forma trazendo mais complexidade ao filme. Um filme para ser refletido durante e depois de sua exibição.

O Silêncio de Lorna (Le Silence de Lorna, França, 2008) de Jean-Pierre e Luc Dardenne

Comentários

  1. Nem ouvi falar desse filme o.OO blog tah mt bem escrito. Tempos que nao entrava aki.Vi o post sobre Hellboy e quem viu O Labirinto do Fauno percebeu que teve bastante personagens e cenários bem parecidos. Teve uma hora q isso até me irritou um pouco, pq eu via o filme lembrando de outro. Mas gostei mt do Hellboy. Achei melhor que o primeiro, o que é difícil de acontecer.bjs

    ResponderExcluir
  2. Quero ver esse filme!

    ResponderExcluir
  3. Fernanda Pereira12 de maio de 2013 09:58

    também nunca ouvi falar desse filme!
    vou entrar aqui sempre pra pegar umas dicas de filmes, já que tenho quase 3 meses de férias!!
    peeeeeedro!! quanto tempooo
    =*

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas