ENSAIO SOBRE A CEGUEIRA

Adaptar uma obra do escritor português José Saramago como Ensaio Sobre a Cegueira não é pra qualquer um, realmente. O talentoso diretor e produto de exportação Fernando Meirelles (Cidade de Deus, O Jardineiro Fiel) sempre teve a vontade de passar a história do livro para a telona. Anos depois, com algumas ajudas, seu sonho virou realidade. E poucos conseguem realmente enxugar a mensagem de um livro sem que ele perca algo significativo, já que os limites de um longa metragem são mais radicais.
 
Meirelles retrata bem esse estudo das condições humanas, da sociedade, contemporânea ou não, pois aqui é um estudo sobre o homem e segue seu método globalizado como fez em O Jardineiro Fiel. Quando uma epidemia de cegueira atinge uma cidade fictícia(sem nome, filmada em Montreal, São Paulo e Montevidéu, muito bem disfarçadas, aliadas a uma fotografia competente que casa as três sem problemas), os primeiros portadores da tal doença são jogados em um conjunto de celas e as condições são terríveis. Com a chegada de mais doentes e a falta de cuidados do governo no início da epidemia, vemos o homem virando um animal irracional, com base em dezenas de analogias e alguns fatos, que são frequentes nos tempos atuais.

Tudo está lá: Corrupção, o sistema, o jogo de interesse, ambição, traição e o instinto, principalmente ele. É claro que depois de vinte cortes depois da primeira versão, Meirelles nos proporciona um filme bem construído, dinâmico, mas deve na hora de chutar o balde. Enfrentar mesmo a platéia, chocar, algo que as primeiras versões faziam pessoas saírem da sala de exibição com cenas brutais de estupro, por exemplo.
 O roteiro adaptado tenta, mas não tem muito resultado. Como trama, ele é um ótimo longa, bem construído, com belíssimas e inteligentes passagens, metáforas interessantes, pensado e o talento do elenco (tirando Mark Ruffalo que não consegue convencer ninguém) que conta com Julianne Moore e Gael Garcia Bernal ajudam o filme para ter um resultado final positivo, mas nas analogias, fica devendo um tapa na cara da platéia como Meirelles conseguiu em seus dois últimos filmes.
★★
Ensaio Sobre a Cegueira (Blindness, Brasil/Canadá, 2008) de Fernando Meirelles

Comentários

  1. Concordo plenamente, a trama ficou boa.Mas a adaptação do roteiro não…Pra quem leu o livro, assistir ao filme acaba nem sendo tão emocionante.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas