OS MERCENÁRIOS

os mercenários 

Chame de oportunismo, de tosco ou do que quiser. A idéia principal de Sylvester Stallone em Os Mercenários é o resgate, não só de atores, mas de uma estética de filmes de ação e o tradicional hábito escapista aliado ao gênero. Se durante a década de 90 eliminava-se um plot convincente para construir os filmes e nos últimos dez anos a grande protagonista era a pós-produção com seus efeitos especiais, a década de 80, em que o gênero se consagrou, volta como referência, com espaço para conhecermos um pouco mais de cada personagem (neste caso podemos chamar de Dream Team?) e justificar a porradaria desenfreada.

E este time formado por pilares  como Sylvester Stallone, Jason Statham, Jet Li e Dolph Lundgren (e algumas participações especiais que prefiro não contar, mas que rendem, de longe, a melhor cena do filme) só quer saber da grana. A famosa paz mundial é ignorada e nós agradecemos por isso. Aqui vive a mais fina ironia, pois o diretor/ator faz questão de equivaler esta visão a uma mensagem de direita, em tempos de intensas brigas em Hugo Chavez e os Estados Unidos. Esta visão vai até o seu limite de sobrevivência e ganha uma nova motivação para sustentar o filme e não funciona bem.

De qualquer jeito, o prato principal – as sequências de ação - vem com câmeras tremidas, cenas brutais de mutilação que remetem ao último filme de John Rambo, tiroteios, perseguições de carros e claro, dezenas de explosões. Infelizmente, a fórmula se repete algumas vezes e cansa – muito, por sinal. Afinal, os personagens já foram apresentados, já temos o suficiente para saber o que cada um ali deseja no meio do tiroteio e o ideal é o show cinematográfico e não um aprofundamento maior nos personagens, que Stallone soube fazer muito bem na primeira metade do filme.

Os Mercenários merece ser visto muito mais pelo fato de juntar diversos protagonistas de fitas de ação de diversas épocas em um filme. Não espere uma trama grandiosa o bastante para encaixar todos eles com seu devido valor e sim como uma típica trama de ação produzida nos anos 80.

Os Mercenários (The Expendables, EUA, 2010) de Sylvester Stallone

Comentários

  1. Como não sou fã destas fitas dos anos 80, este deixarei para ver em DVD - sem qualquer expectativa.

    ResponderExcluir
  2. Omaya Kaboom foi recebida com aplausos na minha sessão.

    Acho que foi o melhor filme de ação que já vi no cinema.

    ResponderExcluir
  3. Você não viu Adrenalina, Pietro? hehehee

    ResponderExcluir
  4. O seu primeiro parágrafo diz tudo que eu penso sobre o filme.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. Rapaz, eu vi Adrenalina e nunca ri tanto.

    Mas não vi no cinema!

    ;)

    ResponderExcluir
  6. Olá Pedro!

    Como tu disse (e o mundo disse) é mesmo um filme fiel aos congêneres dos anos 80. Porém, muito além do saudosismo, vem a minha análise crítica e equiparo "Os Mercenários" como qualquer outro filme medíocre lançado há 30 anos. Acho que não se deve camuflar sobre essa (pseudo) ode aos filmes oitentistas para ganhar méritos. É um filme muito ruim e mal realizado, que só vale mesmo pela cena da igreja. Fora isso, não despertou em mim nenhum tipo de "nostalgia" e tal, prefiro revisitá-los a ter que assistir "Os Mercenários" novamente. Ou não, afinal é tudo do mesmo =p

    abs!

    ResponderExcluir
  7. A estética e a espécie de entretenimento que esse filme resgata me é estranha, nunca fui chegado nessas coisas. Não vou ver pois o público-alvo é outro.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas