MEU MUNDO EM PERIGO


Situações inerentes ao ser humano; a duplicidade existente em qualquer tipo de sentimento. Meu Mundo em Perigo, ovacionado no Festival de Cinema de Brasília de 2007, chega aos cinemas com atraso de três anos. Mas o tempo pouco importa quando José Eduardo Belmonte nos sufoca não só com planos demasiadamente fechados. O diretor enaltece o extremo para o alcance da liberdade, seja ela almejada em silêncio ou explicitamente, ambas representadas através de personagens.

Sem refinamentos técnicos e guiado por câmeras instáveis, o longa que a priori se desenvolve moldes de thriller psicológico logo se entrega ao drama existencial incrustado no caos das ruas paulistanas.  Como consequência, seus personagens se refugiam em bares, hotéis baratos e vagam pelas ruas à procura de uma solução, ou apenas uma nova chance, tema também retratado no posterior e já consagrado Se Nada Mais Der Certo.

A estética proposta por Belmonte casa bem com a obscuridade e pessimismo do filme, que no epílogo abandona a dinâmica calçada na identificação e agarra a redundância para reforçar a idéia de contemporaneidade do texto e se arrasta, até encontrar seu cerne, a unidade que habita entre a sanidade e a loucura, para a brilhante conclusão.

★★★
Meu Mundo em Perigo (Idem, Brasil, 2007) de José Eduardo Belmonte

Comentários

  1. Bacana você ter lembrado do ótimo Se Nada Mais Der Certo, realmente dá pra fazer esse link. Abraços.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas