ATERRORIZADA


Dez anos após Os Fantasmas de Marte, John Carpenter resolveu voltar à cadeira de diretor. E mostra que não perdeu a majestade. Aterrorizada se passa em um centro psiquiátrico e acompanha Kristen (Amber Heard), jovem recentemente internada após atear fogo em uma casa sem motivo aparente.

Na relação de Kristen com as internas, Carpenter cria a atmosfera de suspense. Abstrata, a representação de cada personagem é mutante. Entre o ativismo e a total submissão ao tratamento, uma teia conspiratória ganha forças sobrenaturais para relatar o caos que a reabilitação implanta às pacientes. Carpenter não se atreve em posicioná-las como heroínas ou vilãs, dando força maior para o mistério.

Aterrorizada marca o retorno ao básico, longe das pretensões de criar ícones, e sim a de reunir o suprassumo das invenções que o terror passou nas últimas décadas, em especial a de setenta. A de unir o impacto imagético à crescente atmosfera de suspense sem gratuidade e ser visceral, à priori.

★★★★
Aterrorizada (The Ward, EUA, 2010) de John Carpenter

Comentários

  1. ois concordo totalmente. Se há um motivo para "The Ward" ser um bom filme do gênero é por se ater em fórmulas básicas que funcionam. A razão do filme se passar em outra época só reforça essa impressão. Entretanto, todos nós sabemos que daria para vir algo ainda melhor das mãos de John Carpenter. Não gosto nem um pouco daquele número elevado de sustos fáceis, principalmente aquele que fecha a história.

    ResponderExcluir
  2. vi e achei fraco , tema ja batido em outros filmes

    ResponderExcluir
  3. Que legal que mais um apreciou o filme. Bacana. Escrevi um texto tb, defendendo ele. http://pudimdecinema.wordpress.com/2011/08/06/ate...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas