CORAÇÕES PERDIDOS


Longe da autenticidade, Corações Perdidos é construído numa idéia utópica da bondade e sua imediata oposição. O diretor Jake Scott (De volta à direção após Plunkett e Macleane – Os Saqueadores, de 1999) elabora reações intrínsecas no choque de um casal em crise após o grande trauma de uma perda e uma prostituta ofegante, atrás de um suspiro de vida.

Os Rileys (James Gandolfini e Melissa Leo) estão mortos. Reagem instintivamente a dor de forma solitária, descontando em cigarros, síndromes e casos extraconjugais. Allison (Kristen Stewart) nada mais faz que representar o fundo do poço – ou um grito de socorro reverberado na vida do casal. Nesta relação, Scott opta por conflitos rasos, sugestivos à benevolência do espectador – para ambos os lados. O imediatismo na identificação dos Rileys e Allison se justifica à necessidade de um recomeço, mas em Corações Perdidos, a vida parece a mesma quando se está no céu ou no inferno. Existe concretismo em demasia nas intenções do diretor e nos diálogos não lapidados, que desembocam na infantilidade de Allison como melhor justificativa.

Com o choque do idealismo de Scott à temática dura e suja – representada muito bem pela casa da prostituta -, vemos um filme sem articulações, protagonizado por estereótipos, carregados com louvor por Gandolfini e Leo. Já Stewart mostra a mesma afetação que a consagrou na franquia Crepúsculo. Ficam no ar as boas intenções, principalmente as do primeiro ato, onde Scott acolhe o silêncio para apresentar seus personagens. Um filme truncado como um choro que há muito se espera, mas não tão dolorido quanto suas motivações.

★★
Corações Perdidos (Welcome to the Rileys, Reino Unido/EUA, 2010) de Jake Scott

Comentários

  1. Eu confesso que queria ver por causa do James "Tony Soprano" Gandolfini.

    Mesmo sabendo que o filme não é grande coisa.

    ResponderExcluir
  2. Eu assisti o filme e achei a critica sobre a atuação da Kristen injusta, a personagem dela está quebrada, como se não tivesse outra escolha na vida e as frustações dela me emocionou. Não sou fã da atriz nem a
    acho das melhores, mas acho que já é preconceito menosprezar a garota só por causa de uma saga mal dirigida, ela está crescendo e achei ela incrvel como Mallory/Allison.

    ResponderExcluir
  3. Acho que já está na hora das pessoas darem algum crédito à Kristen sem pensar em "Crepúsculo".
    As grandes atrizes de hoje começaram assim também, talvez não numa grande franquia direcionada à adolescentes mas em filmes tão pequenos e simples.
    Não estou generalizando, sei que alguns realmente não gostam da interpretação dela, mas a maioria é por causa de Crepúsculo e todos utilizam o mesmo discurso: atriz sem expressão. Será que quem usa esse argumento entende de técnicas de expressão e atuação? Acho que não né. Então é mais bonito dizer: Não gosto da atriz e pronto.

    ResponderExcluir
  4. Tenho boas expectativas com o filme por conta do trio de intérpretes envolvidos. As reações têm sido divididas, sem pender muito para alguma direção mais positiva ou negativa. Terei que assistir mesmo para tirar minhas conclusões.

    E eu concordo com as garotas: "Crepúsculo" e Kristen são dez! S2

    =P

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas