JACKASS 3D


Se existe um bom motivo para assistir a sequência de quadros com as tradicionais bizarrices do grupo Jackass (com boa parte formada por dublês ou artistas de circo) no cinema é como o diretor Jeff Tremaine resolve utilizar a “moderna” inserção do 3D no filme para chocar ainda mais o seu público. Mas no geral, Jackass 3D é uma versão requentada, sem tanta criatividade para passar dos limites do ridículo dos outros dois "filmes" do grupo.

A temática da adaptação da série exibida na MTV na última década já justifica a inserção ao absurdo através do 3D. Pode imaginar qualquer coisa (eu disse qualquer coisa!) voando pela tela e passando bem perto de seus olhos. Por outro lado, falta imaginação e criatividade na criação desses quadros. Já vimos Steve-O passando por, digamos, situações fisiologicamente grotescas e Johnny Knoxville sendo literalmente atropelado por um touro furioso. A graça acaba.

Em poucos momentos o grupo sabe brincar com a mesmice. Reconhece a saturação da fórmula e adapta suas velhas saídas para o riso. Funciona. Mas, desde sua ascensão nas MTV, Jackass só agrada um pequeno nicho. Tudo vai depender do seu gosto, paciência e estômago para ver o filme até o fim.


Jackass 3D (Idem, EUA, 2010) de Jeff Tremaine

Comentários

  1. Como os outros, deve ser puro nonsense. Confesso que consigo me divertir, mas não é Cinema. O 2 até tentou aprimorar um pouco isso, mas não vingou.

    ResponderExcluir
  2. Parece bobo… Não devo pertencer a esse nicho. Mas, se arrancar gargalhadas, tá valendo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas