HOLY MOTORS


Um deleite para os olhos e mentes. Uma explosão de metáforas e analogias cronometradas usando o cinema como matéria-prima. Holy Motors parece como uma batida de carros ou um show de fogos de artifício. Parece rápido e brusco o bastante para te pertubar ou deixar cicatrizes.

Léos Carax, que volta a dirigir um longa-metragem após treze anos, faz referência às próprias obras antes mesmo de questionar ética e política nos gêneros do cinema. Vemos todos eles, um a um, sendo destrinchados imagética ou metaforicamente  Do avanço tecnológico que permite o uso do 3D ou de efeitos especiais até os primórdios cinematográficos, o que prevalece em Holy Motors é o sentido que a cada sequência a ilusão, jogo maior desde A chegada do Trem de 1896 dirigido pelos irmãos Lumière, continua intacta. Afinal, a cada "missão" cumprida por Oscar (Denis Lavant em excelente trabalho com nome de duplo sentido banal e igualmente interessante), estamos diante de um fragmento narrativo pronto para nos engolir.

Este jogo instiga os questionamentos básicos do valor e função da arte, porém, Carax é cético diante de um mar de análises: Holy Motors é (ou foi) feito para o entretenimento à priori. Seu ritmo é coreografado como uma sequência musical ou uma fuga em um proto-suspense; inacessível como o romance entre homem e macaco ou alusório como a reinvenção caótica de Adão e Eva. E dessas (im)possibilidades o cinema é feito.

O que torna Holy Motors um filme tão impactante é a maneira que aborda este truque. A riqueza de detalhes que surge da óbvia aproximação com o real à falha humana que possibilita os 24 quadros por segundo, ou seja, o cinema, existir. Aqui vemos o óde à ilusão, à paixão, à magia. A declaração de um realizador para o seu público, como um convite simples: "Vamos conversar sobre cinema?"

Holy Motors (Idem, França/Alemanha, 2012) de Léos Carax

Comentários

  1. Ótimo texto, Pedrinho!

    ResponderExcluir
  2. Muito ansioso por esse filme! E o seu texto só aumentou as minhas expectativas!

    ResponderExcluir
  3. Fiquei ainda mais curioso. Vou vê-lo esta semana.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas