CLUBE DE COMPRAS DALLAS



 

Clube de Compras Dallas é regido pela interessante dicotomia entre sua estrutura e eixos exigidos. Ao contar a história real de Ron Woodruff, um tradicional redneck sulista que é diagnosticado com HIV e que ao buscar tratamentos funcionais colide com interesses da indústria farmacêutica comandada pelo governo americano, Jean-Marc Vallée assume seu processo sem antes poli-lo com a ideia de um filme puro.


Esta decisão potencializa a dicotomia citada, pois o que Vallée intenta é a média entre o que seu tema oferece para meandros melodramáticos, pois explorar a amizade inesperada entre um redneck e um travesti seria a saída mais tangível inclusive para méritos comerciais. Este filme, melodramático, se inicia e termina diversas vezes enquanto o filme-denuncia se sustenta sem grandes problemas enquanto surgem as inevitáveis questões acerca dos limites impostos por Vallée aos eixos que fariam de Clube de Compras Dallas um filme de expressões. Entre eles, está a pureza artificial de um simulacro que aponta sentido único, que abraça estes dois polos, amarrando-o à lógica muito mais do empreendedorismo que de autoria. 


É notório o efeito da entrega de Matthew McConaughey e de Jared Leto, mas fica evidente que Vallée almeja adormecer efeitos maiores, ainda que seus personagens sejam chamativos demais para que não sejam notados além de suas motivações. Por outro lado, este holofote coloca a rotina “marginal” vivida pelos dois como uma declaração de amor à vida ainda maior que as diferenças. O pedido de paz é feito em silêncio, através do afeto, da compreensão que o sofrimento vivido é o mesmo. 


Tornar a história expansiva o bastante para que Ron Woodruff represente um nicho que não para de crescer e que ainda busca de fato, uma cura, dá o sentido maior entre todos estes “filmes” sinalizados por Vallée. Pois a mesma dormência dada à desarmonia entre estes extremos – em momentos com certa dose de humor -, é usada como antidoto contra arritmias e justificações sobre lógica e ternura. 

Clube de Compras Dallas (Dallas Buyers Club, EUA, 2013) de Jean-Marc Vallée

Comentários

Postagens mais visitadas